PERGUNTA:
Todos os crentes podem ser batizados no Espírito Santo ou só aqueles destinados a isso? O Batismo no Espírito Santo com a evidência Bíblica de falar em outras línguas era uma coisa só para a igreja primitiva ou é para qualquer cristão que Deus chamar?

RESPOSTA:
Existem pessoas que pensam que o batismo no espírito santo é algo destinado apenas para algumas pessoas selecionadas por Deus, ao passo que existem aqueles que acreditam (mesmo sem base bíblica) que o batismo no espírito santo foi uma experiência pontual concedida por Deus para ser manifesta unicamente no início do cristianismo, e algumas outras teorias não muito bíblicas também existem pelo mundo afora. No entanto, a verdade é que as Escrituras testemunham claramente que nunca foi plano divino conceder a regeneração do espírito humano sem o subsequente revestimento de poder; ou seja, as Escrituras não parecem ensinar que é desejo de Deus que as pessoas nasçam de novo sem serem batizadas no espírito santo. Uma coisa foi projetada para ser complementada pela outra.

Sem entrar em muitos detalhes, vou te citar alguns textos com explicações curtas: Em Lucas 24.49 Jesus disse aos primeiros cristãos: “permaneçam na cidade de Jerusalém até que do alto sejais revestidos de poder”, logo depois em Atos 1.4 a mesma recomendação é mencionada com outras palavras: “[Jesus] comendo com eles [seus discípulos], determinou que não se ausentassem de Jerusalém, mas que esperassem a promessa do Pai, a qual disse ele, de mim ouvistes”. Observe que o conteúdo dos dois versículos é praticamente o mesmo. Em Atos, no versículo seguinte, Jesus vai explicar o que ele quis dizer com a expressão “ser revestido de poder” que aparece no Evangelho de Lucas, ou “receber a promessa do Pai” que aparece no livro de Atos. A explicação de Jesus é esta: “Porque João, na verdade, batizou na água, mas vocês serão batizados no espírito santo” (Atos 1.5). Em seguida, no versículo 8, Jesus faz outra declaração semelhante ao que também está registrado em Lucas 24.47-49: “Recebereis poder ao descer sobre vós o Espírito Santo, e sereis minhas testemunhas tanto em Jerusalém como em toda a Judéia e Samaria e até aos confins da terra”. Veja se não é exatamente a mesma coisa dita em Lucas, ainda que com palavras levemente diferentes. Jesus falara aos seus discípulos que “em seu nome, se pregasse a todas as nações, começando de Jerusalém. Vós sois testemunhas destas coisas. Eis que envio sobre vós a promessa de meu Pai; permaneçam, pois, na cidade, até que do alto sejais revestidos de poder” (Lucas 24.47-49).

O parágrafo acima mostra o seguinte: os discípulos de Cristo devem ser suas testemunhas até os confins do mundo, a todas as nações; e o poder sobre os crentes para dar este testemunho vem do Espírito Santo no qual os mesmos devem ser batizados.

Como sabemos pelo que está em Atos 2.4, no dia da festa judaica de Pentecostes, os 120 discípulos que se reuniam durante aquela semana “ficaram cheios do Espírito Santo e eles passaram a falar em outras línguas, segundo o Espírito lhes concedia que falassem” (Atos 2.4). Este é o registro do que os textos anteriores haviam mencionado: “o revestimento de poder”, “o recebimento do poder”, “a descida do espírito santo” sobre estes primeiros crentes, “o batismo no Espírito Santo”. Todas estas expressões e mais algumas outras registradas no livro de Atos, representam a mesma coisa.

Posteriormente, em Atos 10, um homem chamado Cornélio e alguns amigos tiveram uma experiência semelhante à dos irmãos de Atos 2 e as palavras usadas no texto bíblico para se referir a esta experiência são:

  1. “Caiu o Espírito Santo sobre todos os que ouviam a Palavra” (Atos 10.44);
  2. “Sobre os gentios foi derramado o dom do Espírito Santo” (Atos 10.45);
  3. “Pois os ouviam falando em línguas e engrandecendo a Deus” (Atos 10.46);
  4. Pedro disse: “Eles receberam o Espírito Santo, assim como nós” (Atos 10.47).

Quando Pedro foi indagado sobre os dias que ficou na casa de Cornélio, ele disse “Quando comecei a falar [para eles], caiu o Espírito Santo sobre eles, COMO TAMBÉM SOBRE NÓS, no princípio. Então me lembrei da palavra do Senhor Jesus, quando disse: João, na verdade, batizou na água, mas vós sereis batizados no Espírito Santo” (Atos 11.15,16). No versículo seguinte Pedro diz: “Se Deus lhes concedeu O MESMO DOM que a nós nos outorgou QUANDO CREMOS no Senhor Jesus, quem era eu para que pudesse resistir a Deus?”

Em outras palavras, o Batismo no Espírito Santo não era apenas para Pedro e seus companheiros iniciais. Também não era uma “experienciazinha” qualquer, que poderia ser desprezada e substituída por uma boa filosofia cristã. Como diz o texto: o batismo no Espírito é um dom concedido por Deus ao cristão quando ele crê! E foi exatamente isso que Pedro falou aos seus ouvintes em Atos 2 quando explicava porque ele e os outros falavam em línguas: “Arrependei-vos, e cada um de vós seja batizado em nome de Jesus para remissão dos vossos pecados, E RECEBEREIS O DOM DO ESPÍRITO SANTO. POIS para vós outros é a promessa, para vossos filhos E PARA TODOS os que ainda estão longe, isto é, PARA [TODOS] QUANTOS o Senhor, nosso Deus, chamar” (Atos 2.39). O Recebimento do Espírito Santo é para todos quantos o Senhor nosso Deus chamar!

Em Atos 19 Paulo encontra alguns crentes e por alguma razão curiosa ele acredita que precisa fazer uma pergunta básica a estes discípulos: “Porventura vocês receberam o Espírito Santo quando creram?” (v. 2). As suspeitas de Paulo se confirmam quando eles responderam que “nem sequer tinham ouvido falar sobre o Espírito Santo”. Daí Paulo faz a segunda pergunta importante: “Em que, POIS, fostes batizados?” (v. 3). Nesse texto percebemos que Paulo também entendia que todo crente deve receber o Espírito Santo, assim que crê. Por isso ele perguntou se eles já tinham recebido o Espírito Santo quando creram. Depois quando eles demonstram ignorância a respeito do assunto Paulo pergunta no que, afinal, eles tinham sido batizados; ou seja, o crente precisa ser batizado no Espírito Santo! Se não foi batizado no Espírito Santo, foi batizado em que? Em seguida Paulo “lhes impôs as mãos, veio sobre eles o Espírito Santo; e tanto falavam em línguas como profetizavam” (v. 6).

Observe que dependendo do tipo de ensinamento cristão que os irmãos recebem, suas experiências espirituais podem ser limitadas. Os irmãos de Atos 19 não entendiam sobre o batismo no Espírito Santo e a razão disto se deve ao fato de que aquele que os instruiu, antes de ouvirem Paulo, também não entendia sobre o assunto, e, consequentemente, suas limitações doutrinárias foram também transferidas aos seus ouvintes.

O texto parece indicar que Apolo era o pregador que os instruía nas coisas do Senhor e enquanto Apolo não estava por lá, pois tinha viajado para Corinto (Atos 19.1) Paulo passou pela cidade de viagem e acabou lhes trazendo mais esclarecimento a respeito desta importante doutrina cristã.

Como sabemos que Apolo não tinha muito entendimento sobre a questão do Batismo no Espírito Santo? Por que as Escrituras dizem isso! Versículos anteriores dizem que “Apolo chegou a Éfeso” e dizem que “ele era eloquente e poderoso nas Escrituras. Era instruído no caminho do Senhor e fervoroso de espírito, falava e ensinava com precisão a respeito de Jesus”; MAS, o texto diz que “ele conhecia APENAS o batismo de João” e exatamente por isso Priscila e Áquila, tomaram-no consigo e, com mais exatidão, lhe expuseram o caminho de Deus” (Atos 18.24-28). Como ele só entendia o batismo de João, esse era o único tipo de batismo sobre o qual ele poderia ensinar.

Assim como os irmãos em Éfeso inicialmente não tinham sido batizados no Espírito Santo quando creram porque a pessoa que os instruía não tinha clareza bíblica a respeito do assunto, da mesma forma muitos cristãos hoje em dia padecem a mesma situação. A falta de um ensinamento bíblico bem fundamento nas Escrituras gera esse tipo de limitação na vida dos ouvintes. Paulo fez a seguinte pergunta em Gálatas 2.2: “Recebestes o Espírito pelas obras da Lei ou pela pregação da fé?”. Paulo está dizendo que o recebimento ou batismo do Espírito Santo é uma consequência direta da fé que vem pelo ouvir a correta pregação da Palavra! Existe um tipo de pregação que faz com que os ouvintes tenham fé para receber o Espírito Santo!

O Batismo no Espírito Santo, com a evidência Bíblia de falar em outras línguas, é uma experiência subsequente ao novo nascimento e é uma necessidade imperativa para todo cristão.