Para o cristão é vergonhoso usar barba?

Você sabia que alguns religiosos de certas denominações cristãs não suportam que homens usem barba? Eu sei que pode parecer que estou tentando fazer alguma piada, mas, acredite, é a mais pura verdade! Há quem diga isso, inclusive, a partir de púlpitos cristãos.

Por alguma razão inexplicável, pelo menos para aqueles que consideram a Bíblia como fonte de informação segura, alguns líderes cristãos desenvolveram essa fobia pela barba. Até já ouvi um senhor de idade falando em público (sem a menor vergonha de perceberem que seu argumento não tinha fundamentação bíblica) que: “o homem que usa barba estará seguindo costumes de samaritanos”. Você entendeu? Pois é, nem eu!

Acredito que algum sociólogo, antropólogo ou curioso poderia nos dar alguma explicação satisfatória de onde surgiu essa loucura em certas comunidades evangélicas; mas, por enquanto, não quero perder tempo com isso. Meu objetivo aqui nesse texto é conversar com aqueles que prezam mais pela Bíblia do que pelos costumes folclóricos, ainda que evangélicos.

Como sou convidado a ministrar em muitas igrejas diferentes, vez por outra surge alguém me perguntando alguma coisa sobre barba. Sendo assim, vou deixar aqui alguns versículos para ajudar os irmãos a entenderem que a Bíblia não fala contra a barba, e, ao contrário, quando fala de abarba em algum lugar, fala de forma positiva.

A barba está presente na cultura judaica há milênios. Supor que barba é “costume de samaritanos” ou mesmo de “muçulmanos”, demonstra apenas falta de conhecimento bíblico e da história do povo hebreu, de cuja cultura surgiu o Cristianismo. Não estou dizendo que a cultura judaica gerou o Cristianismo, mas que o Cristianismo surgiu em seu meio. Veja abaixo alguns textos de profetas hebreus que chegaram a mencionar alguma coisa sobre barba.

  1. Levítico19.1,27
    Disse o Senhor a Moisés: fala a todos os filhos de Israel: Não cortareis em redondo, nem danificareis as extremidades da barba.

Você observou que a declaração profética acima fora dirigida a todos os Israelitas? Deus estava dando instruções sobre como eles deveriam cuidar de suas barbas. Isso significa que, de forma geral, era comum que os Israelitas usassem barba.

  1. 1 Samuel 21.13
    Pelo que Davi se contrafez diante deles, em cujas mãos se fingia doido, esgravatava nos postigos das portas e deixava correr saliva pela barba.

Precisa dizer mais alguma coisa? Davi usava barba!

  1. 2 Samuel 10.4,5
    Tomou, então, Hanum os servos de Davi, e lhes rapou metade da barba, e lhes cortou metade das vestes até às nádegas, e os despediu. Sabedor disso, enviou Davi mensageiros a encontrá-los, porque estavam sobremaneira envergonhados. Mandou o rei dizer-lhes: Deixai-vos estar em Jericó, até que vos torne a crescer a barba; e, então, vinde.

Neste caso, além do texto indicar que os servos de Davi usavam barba, o texto também deixa claro que Hanum os tratou dessa forma com o objetivo de envergonhá-los. Observe também que o próprio Davi entendeu a vergonha dos seus servos e disse-lhes que poderiam esperar até que suas barbas crescessem novamente para que pudessem ir ver o rei.

  1. 2 Samuel 19.24
    Também Mefibosete, filho de Saul, desceu a encontrar-se com o rei; não tinha tratado dos pés, nem espontado a barba, nem lavado as vestes, desde o dia em que o rei saíra até ao dia em que voltou em paz.

Observe que “tratar os pés, ter as roupas lavadas e a barba feita” estão na mesma lista. Todas as coisas listadas fazem menção a práticas de higiene e boa apresentação. Em outras palavras, é honroso cuidar bem da sua barba tanto quanto lavar as roupas, a despeito do contexto específico da situação citada no texto bíblico.

  1. Esdras 9.3
    Ouvindo eu tal coisa, rasguei as minhas vestes e o meu manto, e arranquei os cabelos da cabeça e da barba, e me assentei atônito.

Veja que Esdras, o homem de Deus e profeta do Senhor, também usava barba e a única razão que o levou a arrancar os cabelos da cabeça e da barba no texto acima, foi uma angústia profunda por causa da notícia que recebeu. Normalmente em momentos de tranquilidade e prosperidade os judeus não prejudicavam, nem cortavam suas barbas.

  1. Salmo 133.2
    É como o óleo precioso sobre a cabeça, o qual desce para a barba, a barba de Arão, e desce para a gola de suas vestes.

Acredito que para os que conhecem a Bíblia não é preciso dizer quem é Arão, que se tornou bem conhecido como sacerdote de Deus e irmão de Moisés. Este é um versículo bem popular, mas ainda assim muitos crentes hoje em dia não perceberam que o Arão, de quem tanto falam, usava barba.

  1. Isaías 7.20
    Naquele dia, rapar-te-á o Senhor com uma navalha alugada doutro lado do rio, a saber, por meio do rei da Assíria, a cabeça e os cabelos das vergonhas e tirará também a barba.

Neste texto o profeta usa a ideia de um inimigo “tirar a barba” dos israelitas como uma coisa muito ruim que lhes aconteceria num juízo futuro. Já sabemos que os homens israelitas usavam e usam barba até o dia de hoje, mas é importante observar também que o próprio Deus usa isso como uma maneira de fazê-los entender o que viria sobre eles por causa de seus pecados: as barbas seriam rapadas por uma navalha. Ter a barba rapada era sinal de vergonha para os israelitas. Não é no mínimo curioso a ideia que surgiu no meio evangélico de que usar barba é que é vergonhoso e não o contrário?

  1. Ezequiel 5.1
    Tu, ó filho do homem, toma uma espada afiada; como navalha de barbeiro a tomarás e a farás passar pela tua cabeça e pela tua barba; tomarás uma balança de peso e repartirás os cabelos.

Observe que Deus instrui o profeta Ezequiel a usar os cabelos de sua própria cabeça e barba fomo figuras proféticas de futuros acontecimentos ao povo de Israel. O contexto deixa claro que coisas ruins aconteceriam aos israelitas, e Deus decide demonstrar isso através dos cabelos  da cabeça e da barba sendo tirados e queimados, espalhados, etc. Sei que é óbvio o que vou dizer agora, mas preciso fazer isso: o profeta Ezequiel, tão amado e querido dos evangélicos, também usava barba!

  1. Isaías 50.6
    Ofereci as minhas costas aos que me feriam, e as minhas faces aos que me arrancavam a barba; não escondi o meu rosto dos que me afrontavam e me cuspiam.

Agora, o profeta Isaías, falando profeticamente de Cristo, ainda que se refira a tais acontecimentos na primeira pessoa, como se falasse de si mesmo, disse que “ofereceu o rosto aos que lhe arrancavam a barba”. O texto não parece indicar que o profeta Isaías usava barba? Aliás, antes que me esqueça, ele está falando de si, mas sabemos que ele se refere profeticamente à pessoa de Cristo e, pelo que parece, Jesus também usaria barba! Digo “usaria” porque estou usando como referência o tempo verbal associado ao momento em que Isaías viveu e profetizou isso, mas qualquer pesquisa sobre a cultura do povo judeu comprovará que os homens judeus sempre usaram barba, o que inclui o próprio senhor Jesus também.

Isso me faz pensar numa história que ouvi um tempo atrás. Conta-se que um jovem novo convertido foi para uma certa igreja, mas não permitiram que ele participasse do culto de adoração a Deus, nem que participasse da ceia do Senhor, pois ele usava barba. Triste pelo desprezo que sofreu, decepcionado que irmãos o tenham tratado daquela forma apenas por causa da sua barba, foi perguntar a Cristo o que havia de tão especial dentro daquela igreja que era preciso ele tirar a barba que Deus lhe deu para poder entrar lá. Para sua surpresa, Jesus o respondeu dizendo: “Quanto a isso não vou poder te ajudar, pois eles também nunca me deixaram entrar ali”. Moral da história: muitos tem deixado Cristo de fora da sua vida porque preferiram trocar as Escrituras Sagradas pelos seus próprios costumes e tradições, e assim, tudo o que fazem é condenar inocentes.