Como Deus vê quem trata os outros mal

O orgulho é um dos assuntos mais proeminentes da Sagrada Escritura, que utiliza pelo menos 17 palavras diferentes (e incontáveis variações) para descrever esse mal espiritual.

Infelizmente, a perspectiva de muitos crentes sobre a soberba é tão superficial, que os faz ignorar que, na própria vida deles, esse sentimento esteja presente. Eles podem facilmente identificá-lo em estrelas arrogantes de cinema, ricos esnobes, personalidades egoístas dos esportes, ou ainda em colegas de trabalho verbalmente agressivos. Mas pergunte aos cristãos se eles têm lutado para não serem orgulhosos, e a negação de muitos virá rapidamente: “ah, não! Eu não!”

Pedro, o apóstolo, disse: sede todos sujeitos UNS AOS OUTROS e revesti-vos de humildade, PORQUE Deus resiste aos soberbos, mas dá GRAÇA aos humildes. HUMILHAI-VOS POIS… (1 Pedro 5.5,6). Pedro escreveu para os crentes e justamente para estes ele diz que “Deus resiste os soberbos”. Sei que não combina muito colocar estas duas palavras na mesma frase, mas pelo que parece é bíblico dizer que existem “crentes soberbos”.

Humilhar-se, rebaixar-se pode parecer um sinal de fraqueza e dependendo das pregações que você anda ouvindo, você pode estar sendo muito tentando a NÃO se rebaixar em seus relacionamentos com os outros, mas segundo os conselhos de Pedro uma forma de se humilhar A DEUS, é se sujeitar aos irmãos. Não, não é se sujeitar apenas aos líderes, aos pastores, ou autoridades; mas sujeitar-se a QUALQUER OUTRA pessoa.

O respeito ao valor de cada pessoa humana, o reconhecimento de quem o homem é aos olhos de Deus, nos faz enxergar as coisas de forma diferente. Quando curvamos nossa cabeça para respeitosamente ouvir as perspectivas do outro, estamos sendo servos obedientes de Cristo que nos deu a ordem de amar, respeitar e nos sujeitarmos aos outros.

A expressão “Senhor” é usada 7.750 vezes nas Escrituras, enquanto o vocábulo “Salvador” é empregado apenas 37 vezes. Isso mostra o peso extremo que a Palavra de Deus coloca sobre o senhorio de Cristo em relação a nossas vidas.

Amar e respeitar com sinceridade os seres humanos, é a mais verdadeira expressão de obediência a Cristo.