O casamento não é invenção humana

PERGUNTA:
A Bíblia diz que “o homem deixará pai e mãe e se unirá à sua mulher e serão os dois uma só carne”, isto indica que o casamento bíblico se realiza apenas com a união sexual, sem precisar de qualquer outro tipo de cerimônia?

RESPOSTA:
Quando não vemos os detalhes que tratem sobre qualquer cerimônia na união matrimonial dos homens do Antigo Testamento como Oséias, Moisés, Isaque ou qualquer outro, não quer dizer necessariamente que não tenha havido alguma cerimônia. Em algumas ocasiões os textos bíblicos resumem o acontecimento e simplificam a história, mas isso não quer dizer que não possamos chegar a uma conclusão clara usando outros inúmeros textos da Bíblia que tratem sobre o assunto. Além disso, a simples descrição de algum acontecimento não transforma o acontecimento descrito em prescrição a ser seguida; por exemplo, Davi ou Salomão possuíram mais de uma mulher ao mesmo tempo, mas não quer dizer que eles estivessem certos com tal comportamento ou que seja normal um homem que serve a Deus fazer o mesmo, até porque já havia sido prescrito que “os reis do povo hebreu não deveriam multiplicar mulheres para si” (Deuteronômio 17.14-17). Em outras palavras, está escrito na Bíblia o que eles fizeram, mas a própria Bíblia mostra que o que eles fizeram não era exatamente o que Deus queria; aquela não era a vontade de Deus.

Tendo dito isto, posso dizer que realmente acredito que a cerimônia não consuma o casamento em si, por outro lado também, simplesmente “fazer sexo” não é o que a Bíblia chamaria de “casamento” aos olhos de Deus. Simplesmente “pegar a pessoa” e levar para casa e ficar morando com ela, também não pode ser o conceito bíblico para casamento, pois Jesus falando com a mulher samaritana disse que “o homem que ela tinha não era seu marido”. Se o simples fato de “estar com alguém” o transformasse em marido, Jesus não teria dito isso.

Você citou o texto: “o homem deixa os pais e se une a sua mulher e se tornam os dois uma só carne”, como se isso explicasse que “o casamento aos olhos de Deus fosse muito simples: a união” entre o homem e a mulher não é? No entanto, a mesma passagem de Gênesis que você citou, Paulo usa para falar de impureza sexual: “Ou não sabeis que o homem que se une à prostituta forma um só corpo com ela? Porque, como se diz, serão os dois uma só carne” (1 Coríntios 6.16).

A mesma passagem que você usou para falar do homem que “se une” a uma mulher para “consumar o casamento”, Paulo usou para falar do homem que “se une” a uma prostitua para praticar impureza sexual. Ou seja, não é de qualquer jeito!

O casamento bíblico, de acordo com a vontade de Deus, é aquele onde os dois assumem um compromisso público (não oculto, escondido, secreto), indicando a todos que serão uma só carne “até que a morte os separe”, pois o que Deus ajuntou, não deve ser separado. O casamento é a união que Deus criou entre um homem e uma mulher que não deve ser desfeita. Assim, o casamento é uma união pública, reconhecida por Deus e pelos homens.

Qualquer coisa que se encaixar nesse padrão, será válida. Por outro lado, a banalização do compromisso leva à leviandade e foge dos propósitos de Deus para a união do homem com a mulher que a bíblia chama de casamento.