A paz de Cristo deve ser o arbítrio em nosso coração!


Esta mensagem traz uma abordagem bíblica sobre a natureza tríplice do homem e suas implicações para uma vida cristã em linha com a vontade de Deus. O foco deste estudo é demonstrar que as Escrituras do Antigo Testamento apontavam para um futuro “transplante de coração” por meio do qual Deus faria com que as suas leis fossem escritas no interior do homem, fazendo-o assim andar nos seus caminhos e cumprir a sua vontade.

O que antes era um coração duro, de pedra, após o novo nascimento, tornou-se um coração sensível, de carne. Paulo disse que Deus, que prometera a luz brilhando nas trevas, foi o próprio a resplandecer em nossos corações para iluminar o conhecimento da glória de Deus na face de Cristo (2 Coríntios 4.6).

Hoje, na Nova Aliança, homens e mulheres em Cristo não são mais obrigados a servirem a Deus na caducidade da letra, mas em novidade de espírito (Romanos 7.6). Temos um espírito novo, temos um coração novo!

Paulo disse que, na Nova Aliança, aqueles que recebem uma nova natureza da parte de Deus, podem ter um comportamento de conformidade com a lei, pois agora possuem a “norma da lei gravada em seu coração” (Romanos 2.14,15). A promessa desta Nova Aliança que tiraria a lei das tábuas de pedra e a escrevia nas tábuas de carne do coração se encontra em Jeremias 31.31-33. O autor do livro de Hebreus fala também sobre estes fatos, inclusive mencionando que a Nova Aliança é infinitamente superior, pois tem um ministro mais excelente e se baseia em promessas melhores (Hebreus 8.6-13).

É exatamente com base nestas verdades que João ousa afirmar que “se O NOSSO CORAÇÃO não nos acusar, temos confiança diante de Deus” (1 João 3.21). João está dizendo que podemos ter confiança diante de Deus se considerarmos a importância das informações que vem do nosso próprio coração!