PERGUNTA:
Você acha que um cristão pode tomar cerveja? Já ouvi pessoas falarem que é melhor tomar cerveja que uma Coca-Cola, pois dizem ser menos ofensivo para o corpo.

RESPOSTA:
Eu tenho ciência que meus textos recentes sobre “o vinho na Bíblia” podem gerar alguns questionamentos por pessoas que fazem parte de diversos seguimentos evangélicos. No entanto, mesmo isso não ficando tão óbvio nos meus textos, eu acho que NÃO É simplesmente uma questão de “ser ou não ofensivo ao corpo” – ainda que o álcool seja DE FATO uma das drogas conhecidas que mais prejudicam o corpo humano, e, segundo o Professor e Neuropsicofarmacologista David Nutt, o álcool é mais prejudicial do que maconha, ecstasy e dezenas de outras drogas consideradas pesadas. Ainda que a Coca-Cola (como qualquer outro refrigerante) sejam realmente ruins para o corpo, isso não quer dizer que sejam piores do que o álcool.

A questão que estou tratando nessa série de textos que venho escrevendo sobre o vinho não tem a intenção de apontar o caminho “politicamente correto”. Meu objetivo principal é apenas desfazer conceitos equivocados e oferecer mais informações sobre realidades que a maioria de nós desconhece. O que vejo é que muitas pessoas usam os textos bíblicos com um sentido diferente do que eles realmente representam. Meu objetivo maior é esclarecer os textos e não necessariamente trazer uma mensagem de “não beba”. Um dos meus melhores amigos bebe um copo ou outro, dia sim, dia não, e eu não me importo com isso; e ele continua sendo um dos meus melhores amigos. Não acredito que beber um copo de vinho depois do almoço seja pecado, tenho amigos que o fazem e não os recrimino por isso, ainda que eu mesmo não suporte nem o cheiro de bebida alcoólica. Na verdade, existem inúmeras outras coisas que fazemos que são tão prejudiciais ao corpo quanto beber vinho e muitos cristãos o fazem e não se importam: Tomar certos remédios, comer certas comidas, beber refrigerante, comer balas e açucares de forma geral, e mais um número de outras coisas semelhantes.

Como disse, não acho que seja pecado beber um copo de vinho depois do almoço, só acho que não temos base bíblica para dizer que fazemos isso porque Jesus fazia ou porque os primeiros cristãos faziam ou porque a Bíblia encoraje esse comportamento. Por outro lado, aos que bebem valeria a pena se perguntar: por que eu bebo? Qual meu real objetivo? Me sentir “moderno”? Me sentir “cool”? Por questões de saúde? Por causa do “maravilhoso” sabor alcoólico? Bebo porque percebo que intelectuais do mundo apreciam o vinho e quero me sentir parte deste grupo? Ou será que eu bebo porque gosto de como me sinto depois de uma ou duas taças? Além de tudo isso é bom lembrar também que para se embebedar basta continuar bebendo. Em qualquer época será sempre assim: quanto mais se bebe, mais alterado se fica! A diferença entre uma pessoa e outra está no tempo que se leva para ficar bêbado. A grande maioria das pessoas não bebe por qualquer outro motivo que não seja ficar bêbado; ainda que essa “embriaguez” venha por etapas: ficar meio tonto, ficar tonto , ficar meio alegre, ficar alegre, meio embriagado, embriagado, e, finalmente: desmaiar! Estes são apenas graus que se alcançam com a mesma bebida. Todas essas fases de embriaguez são o oposto de ser ou estar sóbrio, todas elas. Uma das características do cristão é ser sóbrio, que também está relacionado ou conceito de ser sábio. Acredito que todo aquele que BUSCA o contrário disso estará indo contra as recomendações da Palavra de Deus e talvez seja esse o problema de incompatibilidade entre a bebida alcoólica e o cristão.