Existem inúmeros textos que fazem alusão a verdades que foram escondidas por Deus no início do mundo para serem descobertas ou reveladas em tempo oportuno. Tais textos parecem apontar para o propósito da existência humana e o seu destino final de acordo com os planos de Deus. Um deles, discreto, mas interessante, se encontra em Efésios 5.

Em Efésios 5.22-32 Paulo fala sobre o relacionamento conjugal, mas sempre fazendo alusão à semelhança que há entre a relação “marido e mulher” com Cristo e a Igreja. Ele faz diversas declarações interessantes que sempre apontam para a conexão que há entre Cristo Jesus e o seu Corpo, a Igreja:

  • A mulher deve ser submissa ao marido como é submissa ao Senhor (v. 22)
  • O marido é o cabeça da mulher, como Cristo é o cabeça da Igreja (v. 23)
  • Cristo Jesus é o salvador do seu próprio Corpo (v. 23)
  • A igreja está sujeita a Cristo como as mulheres devem ser aos maridos (v. 24)
  • Maridos devem amar as mulheres como Cristo amou a Igreja (v. 25)
  • Tudo o que Cristo fez pela igreja tinha o objetivo de melhorá-la para si mesmo (vv. 25-27)
  • Como Cristo, os maridos também devem amar a mulher como o seu próprio corpo (v. 28)
  • Quando o marido ama a esposa ele está se amando, como Cristo faz com a Igreja (v. 29)
  • Ninguém odeia a própria carne; antes, a alimenta e dela cuida, como também Cristo faz com a Igreja (v. 29)
  • Assim como marido e mulher são uma só carne, nós também somos membros do corpo de Cristo (v. 30)

Ao concluir as comparações Paulo parece querer deixar bem claro qual a sua perspectiva em relação ao casamento como mensagem profética quanto à prevista e predestinada união de Cristo com a Igreja, que é na verdade o seu próprio Corpo:

Efésios 5.31,32
31 EIS POR QUE deixará o homem a seu pai e a sua mãe e SE UNIRÁ À SUA MULHER, E SE TORNARÃO OS DOIS UMA SÓ CARNE. 32 GRANDE É ESTE MISTÉRIO, mas eu me refiro a Cristo e à igreja.

Quando Paulo diz “eis por que”, ele está mostrando a razão número 1 da invenção do casamento, a razão maior do porquê o homem sai da casa do pai e se une à sua mulher tornando-se uma só carne com ela: para servir de testemunho profético da futura e planejada união entre o filho de Deus e sua noiva. Por isso ele diz que “o mistério é grande”, pois se referia a Cristo e a Igreja. O grande mistério mencionado aqui, que esteve mantido em segredo em todas as gerações, era que Deus já havia planejado a união entre Cristo e os homens desde o início do mundo, e, além de já ter planejado, deixou pistas sobre este plano nas coisas criadas desde o princípio, uma destas pistas é o próprio casamento.

Assim como o futuro marido precisava esperar que a mulher alcançasse a sua maturidade para que ele pudesse sair da casa do pai para unir-se com ela e os dois se tornassem uma só carne, também Cristo se uniria à Igreja que passaria a ser o seu Corpo, exatamente no tempo predeterminado pelo Pai.