Influenciando para o bem

Quando eu assisto certas reportagens a respeito de “roubo nas estradas” por exemplo, eu sinto tristeza e decepção. Primeiro porque é uma aula pormenorizada de tudo que é preciso saber para se fazer um assalto a caminhoneiros de bens valiosos. Eles explicam sobre todas as prevenções que as empresas tomam para rastrear o roubo, contam dos lugares no caminhão onde estão “escondidos” os rastreadores, explicam detalhadamente sobre os novos métodos “secretos” para a segurança da carga, etc. No final das contas, quando você termina de ver uma matéria como essa, você sabe mais sobre o que evitar ou o que fazer para ter um roubo bem sucedido do que como estar seguro quando estiver fazendo seu trabalho.

Acho que às vezes nós como cristãos fazemos praticamente a mesma coisa no sentido espiritual. Pensamos que estamos sendo “sinceros” e “corretos” ao tecermos nossas observações detalhadas e claras a respeito das coisas e na verdade estamos transmitindo sentimentos que fazem mais mal do que bem àqueles que nos ouvem. Nem sempre seremos considerados sábios por expressarmos uma opinião bem definida a respeito de um assunto, em certas situações um cristão um pouco mais espiritual do que outros expressará sua sabedoria exatamente pelo fato dele não falar mais do que deve.

“Se uma pessoa não tropeça no falar é porque é madura, e sabemos que esta pessoa é realmente capaz de refrear todo o seu corpo” Tiago 3.2. A Bíblia está dizendo que todo pecado começa na língua, quem controla a língua, controla o corpo. Em outras palavras, quem fala mais do que deve, deve pecar o tanto quanto fala. A língua deve ser contida pelo cristão porque é “mal carregado de veneno que mata” Tiago 3.8. “Com a mesma língua falamos bem de Deus, mas em seguida falamos mal dos homens que são feitos à semelhança de Deus” Tiago 3.9. “Como é que uma mesma fonte faz jorrar do mesmo lugar o que é doce e o que é amargoso?” Tiago 3.11.

Que Deus seja compassivo comigo e tenha misericórdia da minha vida pelo fato de eu ainda falar mais do que devo. Não quero provocar o meu Senhor à ira, não quero ser reprovado por ter um coração impenitente. Que minha língua seja posta em chamas pelo fogo do Espírito para bendizer e não maldizer.

“Que Deus me ajude para que as palavras que saem da minha boca sejam unicamente aquelas que forem boas para abençoar e que transmitam graça aos que me ouvirem” (Efésios 4.29).

Que minhas palavras TRANSMITAM graça…