Um breve comentário sobre a suposta "segurança eterna"

Eu estive postando algumas coisas sobre graça para ajudar alguns amigos que estavam confusos por causa de boas pregações que ensinam coisas ruins, e em meio a estas postagens uma irmã certa vez me escreveu o seguinte:

“Muitos pentecostais, neopentecostais e até mesmo pessoas do meio evangélico tradicional interpretam Hebreus 12:14 de forma errada. O texto diz: “Segui a paz com todos e a santificação, sem a qual ninguém verá o Senhor”. Quando leem este versículo, logo concluem que a santidade é um pré-requisito para a salvação. Mas não é isso que o texto está ensinando. Se a santificação fosse condição para a salvação, a salvação seria por obras, porque a santificação de vida é uma obra e Efésios 2:8,9 diz que a salvação é pela graça através da fé. Somos salvos para a santificação e não pela santificação de vida, como deixa claro o v.10 de Efésios 2.

Na verdade o texto de Hebreus. 12:14 está nos ensinando que a santificação é um resultado da salvação. O texto deve ser entendido da seguinte maneira: se uma pessoa que se diz crente mas nunca viveu uma vida de santidade em momento algum de sua vida essa pessoa não verá o Senhor, não porque não andou em santidade, mas porque pela falta constante de santidade essa pessoa demonstrou que nunca teve fé salvadora, e por não ter fé salvadora não verá a Deus. São pessoas que nunca deram frutos, até o fim de suas vidas tiveram uma vida marcada pelo pecado e nunca andaram em santidade”.

E logo abaixo está a resposta que lhe dei na esperança de ajuda-la na compreensão da passagem em questão. Espero que seja útil para todos que buscarem respostas sobre o mesmo assunto.

Irmã, isso não é verdade. Você leu o versículo ao contrário. Ele não disse “quem não vive uma vida santa não VIU o Senhor” ele disse “quem não vive uma vida santa NÃO VERÁ”, é simples assim, não precisa ser tão inteligente para entender o real significado do texto, não é mesmo?

Além do mais, existem inúmeros textos no Novo Testamento falando a mesma verdade:

1 Coríntios 5.1-5
1. Geralmente, se ouve que há entre vós imoralidade e imoralidade tal, como nem mesmo entre os gentios, isto é, haver quem se atreva a possuir a mulher de seu próprio pai.
3. Eu, na verdade, ainda que ausente em pessoa, mas presente em espírito, já sentenciei, como se estivesse presente, que O AUTOR de tal INFÂMIA seja,
5. entregue a Satanás para a destruição da carne, A FIM DE QUE O ESPÍRITO SEJA SALVO no Dia do Senhor [Jesus].

Você entendeu o texto? do jeito que está escrito? sem alterar nada? sem inverter a ordem ou mudar as palavras? Paulo disse: Esse crente deve ser ENTREGUE A SATANÁS para a destruição da carne A FIM DE QUE o espírito seja salvo… Em outras palavras: Sua vida de pecados desenfreado exigia uma sentença de morte física como uma solução de intervenção para tentar PRESERVAR sua vida espiritual. Paulo achava melhor que ele “morresse mais cedo” pois queria evitar que ele “morresse mais tarde”.

Em 1 Coríntios 11.31, 32 Paulo repete o mesmo princípio, agora em outro contexto:

31 Porque, se nos julgássemos a nós mesmos, não SERÍAMOS JULGADOS.
32 Mas, quando julgados, somos disciplinados PELO SENHOR, PARA NÃO SERMOS CONDENADOS COM O MUNDO.

Ou seja, quando nos julgamos a nós mesmos, podemos nos corrigir, mudar padrões de comportamentos errados, e isso evita o juízo divino, mas quando NÃO NOS JULGAMOS, Deus nos julgará! E Paulo ainda diz que mesmo em casos assim, DE MORTE PREMATURA (versículo 30: Eis a razão por que há entre vós muitos fracos e doentes e não poucos que MORREM) é por um fim positivo: NÃO SERMOS CONDENADOS COM O MUNDO.

Veja que ele está REPETINDO a mesma coisa de todo o Novo Testamento: Nosso comportamento desleixado pode nos impedir de desfrutar a salvação espiritual no último dia quando ela se manifestar (1 Pedro 1.5) e a preocupação de Paulo é que os crentes NÃO SEJAM CONDENADOS JUNTOS com o mundo… e nós sabemos qual é a condenação do mundo, não é verdade?

Veja a semelhança entre os textos que citamos aqui:

  • A FIM DE QUE O ESPÍRITO SEJA SALVO no Dia do Senhor [Jesus] (1 Coríntios 5.5).
  • Mas, quando julgados, somos disciplinados PELO SENHOR, PARA NÃO SERMOS CONDENADOS COM O MUNDO (1 Coríntios 11.32)..

Muitos crentes estão morrendo mais cedo como juízo divino para que suas vidas sejam preservadas do juízo eterno! Disciplinados pelo Senhor PARA NÃO serem condenados com o mundo!

Em outras palavras, é possível ser crente “de verdade” e ainda estar preso ao pecado (1 Timóteo 5.20), e é possível se envolver tanto com o pecado que o cristão simplesmente abandone em seu coração a esperança que inicialmente tivera, chegando inclusive a negar a sua fé. E já sabemos o que as Escrituras dizem a esse respeito: “Se perseveramos, também com ele reinaremos; se o negamos, ele, por sua vez, nos negará” (2 Timóteo 2.12).

O que não podemos esquecer, é o que Jesus e Tiago falaram sobre o temor devido ao Senhor pelo fato de sabermos que ele é quem nos julga e nos julgará:

Lucas 12.5:
Eu, porém, vos mostrarei A QUEM DEVEIS TEMER: temei aquele que, depois de matar, TEM PODER [autoridade na verdade] para lançar no inferno. SIM, digo-vos, a esse DEVEIS TEMER.

Tiago 4.12:
Um só é Legislador e JUIZ, aquele que PODE SALVAR e [pode] FAZER PERECER; tu, porém, quem és, que julgas o próximo?

Outra coisa importante a ser lembrada é o que disse Paulo:

Efésios 5.3-7:
Imoralidade, impurezas, cobiça por dinheiro, conversas torpes, palavras sem valor, zombar de outras pessoas, não devem ser praticadas pelos crentes, pois pessoa alguma que não se controla ou impura, ou avarento (que é um idólatra) tem herança no reino de Cristo. NINGUÉM VOS ENGANE (IRMÃOS) PORQUE, POR ESSAS COISAS, vem a IRA DE DEUS sobre os desobedientes. PORTANTO, NÃO PARTICIPEM DISSO!

Por favor, preste bem atenção ao que Paulo está dizendo aí: Ele disse que não podemos deixar que os pregadores, livros e faladores nos ENGANEM, e depois diz que o engano dessas pregações iludem os crentes a pensarem que seus pecados não terão consequências, mas Paulo diz, NÃO DEIXEM ELES ENGANAREM VOCÊS, POIS A IRA DE DEUS VEM SIM! Sobre os que PRATICAREM ESSAS COISAS, PORTANTO, não participem IRMÃOS…

Cuidado com as pregações que te enganam a se sentir tranquila mesmo pecando e que não te falam sobre a ira de Deus. Pregador bom é aquele que considera a bondade e a severidade de Deus (Romanos 11.22).

Lembre-se, é melhor ouvir alguém que diz a verdade mesmo que seja por ela julgado, do que ouvir alguém que diz uma mentira só para por meio dela ser justificado. Cuidado com os enganos e os enganadores.

Isso sim, querida, é a mais pura verdade… abra seu coração.
um grande abraço.