| www.natanrufino.com.br

FILHO DE UM DOS FUNDADORES DO HAMAS
Sem meias palavras ele apresenta claramente o que é o Islamismo.

Mosab Hassan Yousef é filho do sheik Hassam, um dos fundadores do Hamas, mas abandonou a organização terrorista quando se converteu ao cristianismo. Ele foi criado em Gaza e já escreveu um livro sobre o assunto, onde relata as sucessivas ameaças de morte recebidas por expor como funciona o Hamas. Em entrevista à CNN, voltou a mostrar que o objetivo do Hamas é o estabelecimento de um Estado Islâmico no território que hoje pertence ao Estado judeu.

“O Hamas não procura a convivência, está buscando a conquista. A destruição do Estado de Israel não é seu objetivo final, mas um Estado Islâmico que se erguerá sobre as ruínas de outros”, diz Yousef.

Yousef é conhecido nos EUA, onde vive, como o “Filho do Hamas”, título do seu livro autobiográfico. Criado para suceder o pai no comando, relata que se decepcionou com a hipocrisia que via na organização.

“Nas mesquitas, o Hamas nos ensinava que sem derramamento de sangue inocente, por causa da ideologia, não seríamos capazes de construir um Estado Islâmico. Eles estavam nos preparando desde os cinco anos de idade. Esta é a ideologia que o Hamas oferece. Na verdade é quase impossível para qualquer um romper com isso e ver a verdadeira face do Hamas, saindo fora desta ideologia. No meu caso, eu precisei perder tudo após dizer não ao Hamas. Hoje, quando olho para as crianças de Gaza, sei o que eles são aprendendo desde cedo. Eu sei que eles não têm escolha”, lamenta Yousef.

Para ele, embora a mídia divulgue muitas coisas diferentes, o Hamas não se importa com as vidas dos palestinos. “Eles acreditam que morrer por causa de sua ideologia é uma forma de adoração a Deus”, explica Yousef.

Quando Yousef começou a questionar o discurso do Hamas, sofreu retaliação em sua própria família. Na mesma época (1999) conheceu um missionário britânico e estudou sobre o cristianismo durante seis anos. Ao tomar a decisão de aceitar Jesus e romper com a tradição política e religiosa da família, ele literalmente perdeu todos os seus familiares e amigos.

A organização terrorista afirmava que ele trabalhava como espião para a agência israelense Shin Bet. Seu pai divulgou um comunicado na época onde afirmava: “Eu, Sheik Hassan Yussef, minha esposa, filhos e filhas anunciamos que renegamos completamente o homem que era nosso filho mais velho”.

Desde que se refugiou nos EUA, para escapar da morte certa na Palestina, ele vem se dedicando a ensinar a Igreja sobre o Islamismo e promovendo campanhas de oração pela salvação dos muçulmanos. Para ele, são pessoas maravilhosas, mas estão presos pela ideologia islâmica.

Ele conta que para um muçulmano convertido é muito difícil viver em Israel. Ele passou anos em prisões israelenses, foi torturado e espancado quase até a morte por soldados israelenses e por ser filho de um dos líderes do Hamas era considerado terrorista. Por outro lado os muçulmanos o odiavam pois afirmavam que era um traidor, um espião sionista. Mas seu relacionamento com Deus o fez seguir os ensinamentos de Jesus e perdoar os seus inimigos.

Embora tenha sido rejeitado pela família, explica que ora todos os dias por eles e que ainda os ama. Insiste que os ocidentais confundem o Islã (sistema religioso) e os muçulmanos, que julgam estar agradando a Deus fazendo o que fazem, inclusive atentados. Yousef está trabalhando na produção de dois filmes. Um retratará sua história pessoal, o outro será sobre a vida de Maomé, onde deseja oferecer uma visão crítica e histórica do profeta do Islã.