Em meio a tudo que tem acontecido no Oriente Médio, que sequer teríamos condição de começar a detalhar aqui, paralelamente um movimento encabeçado por um grupo de judeus gradualmente trabalha para a conscientização e mobilização da construção do terceiro templo no Monte do Templo. É isso mesmo que você acabou de ler: no mesmo lugar onde hoje se encontra o “Domo da Rocha”, terceiro suposto lugar mais sagrado para os famigerados muçulmanos. A construção deste templo envolve questões escatológicas de uma profundidade sem tamanho:

  1. As Escrituras preveem que o Anticristo se sentará no trono de Deus; a compreensão judaica interpreta esta atitude como uma usurpação da posição que pertence ao próprio Deus. Não que o Anticristo dirá que é Deus, como algumas versões poderiam dar a impressão, mas ele fará isso, “como se fosse o próprio Deus” (2 Tessalonicenses 2.4).
  2. Daniel, o profeta e Jesus, prevendo tal desgraça futura, que é um golpe humilhante no coração de Israel, alertou que “ao virem o abominável da desolação no lugar onde não deve estar, ou seja, no lugar santo” (Marcos 13.14, Mateus 24.15) será o momento em que os judeus deverão fugir, dispersar-se, salvarem sua pele.
  3. Para que tais coisas aconteçam, o templo precisará estar erguido e pronto para ser o palco do cumprimento de tais e outras profecias.
  4. Hoje para que o santuário seja construído no Monte do Templo é preciso haver algum tipo de reviravolta na situação atual para que os muçulmanos permitam ou não resistam à esta construção. Se as edificações islâmicas serão destruídas ou se dividirão o espaço com o novo templo judeu, isso ainda é relativamente incerto. No entanto uma possibilidade paira no ar: Se a Bíblia prevê que o Anticristo conseguirá milagrosamente orquestrar um projeto de paz para os judeus em relação às nações ao seu redor (mesmo que seja por breve tempo) isso pode indicar que o homem da iniquidade intermediará algum tipo de acordo entre judeus e seus “primos” e eternos inimigos, os “árabes”.
  5. Ou este acordo promovido pelo Anticristo será quebrado por um descontentamento seu devido a alguma circunstância por ele insuportável, ou na verdade, como eu realmente acredito que será, ele fará um falso acordo, e oferecerá uma falsa paz. Acredito que esta aproximação e apoio para a construção do templo não passarão de taqiyya, palavra árabe, de cunho sagrado para os muçulmanos que significa embuste de guerra, armação proposital e consciente por meio da qual os jihadistas islâmicos se aproximam e roubam, matam e destroem seus inimigos e, pasme você, com todo o apoio das “únicas escrituras sagradas incorruptíveis presentes na terra: o Corão!”

Não existirá qualquer outra religião ou movimento político e social que ultrapasse o que o Islamismo conseguiu antes do início da tribulação ou antes da volta de Cristo. Não há tempo para qualquer outra revolução avassaladora que sacuda o mundo com a magnitude que as profecias bíblicas exigem para este tempo do fim. Não haverá outra grande reivindicação política, social ou religiosa. De fato, não haverá tempo para o surgimento de qualquer outra grande religião com proporções mundias. Não haverá outra grande confusão neste mundo além da que já estamos tendo. Antes da volta do Senhor Jesus não haverá tempo para outra grande coligação de nações que se unirão com ódio infernal contra os judeus e cristãos determinadas a exterminá-los, cumprindo assim inúmeras previsões da Bíblia. Ponha uma coisa na sua cabeça: o fim já começou!

Abaixo colei um texto postado pelo site GospelPrime. Leia, assista o vídeo e fique esperto…


Grupo judeu começa arrecadação para construção do Terceiro Templo

Mesmo em meio a guerra atual com o Hamas em Gaza, os membros do Instituto do Templo continuam com sua campanha mundial pela reconstrução do Beit HaMikdash (Templo Sagrado), também chamado de Terceiro Templo.

Ele recebe esse nome por que o original, edificado por Salomão, terminado em cerca de 950 a.C. foi destruído na invasão babilônica em 586 a.C., sendo substituído pelo Templo construído pelo governador Herodes, que estava em pé nos dias de Jesus, e foi demolido no ano 70 pelo exército romano.

No ano passado, o movimento pela reconstrução ganhou novo fôlego, quando foram retomados os sacrifícios rituais no local, depois novos sacerdotes levitas foram treinados pelos rabinos para recomeçar os rituais descritos no Antigo Testamento, incluindo os que exigem a novilha vermelha. Por fim, anunciou-se que todas as 102 peças do interior do templo estão prontas, incluindo o véu de separação do Santo dos Santos.

A única peça faltante é a arca da aliança, que os rabinos acreditam estar enterrada no monte do Templo e que poderia ser recuperada assim que Israel retomar controle do local.

Nos últimos 30 dias o mundo tem pedido paz para Israel e o Instituto do Templo lançou uma campanha de arrecadação online, onde qualquer pessoa pode contribuir com a solução definitiva para o conflito segundo eles. Mas a solução proposta não irá agradar os muçulmanos, pois se trata de mais uma etapa da reconstrução do Templo.

Na página do projeto no site IndieGoGo, o texto de apresentação diz que a partir de 18 dólares [cerca de R$ 40] é possível colaborar com o projeto de reconstrução do Templo, que irá inaugurar “uma nova era de harmonia e paz universal”. Usando a premissa de que o local mais sagrado para os judeus foi concebido pelo próprio Deus, afirma “Não é o suficiente esperar e orar pelo Terceiro Templo. É uma obrigação bíblica construí-lo”.

O projeto arquitetônico já existe e mescla a revelação dos textos sagrados com a tecnologia moderna. O novo Templo será totalmente informatizado, contando com estacionamento subterrâneo, controle de temperatura, elevadores, docas para transporte público, acesso para cadeirantes e outras comodidades.

O Instituto do Templo garante que seus arquitetos são estudiosos da Torá e “irão garantir que tudo é construído com os mais altos padrões modernos, seguindo as leis judaicas”. O alvo da arrecadação do IndieGoGo é de 100 mil dólares, sendo que 30 mil irão para o Sinédrio (Lishkat HaGazit). Obviamente o custo total é muito maior, mas a intenção do Instituto do Templo é abrir a oportunidade para pessoas de todo mundo contribuírem.

Um vídeo em 3D mostrando os projetos arquitetônicos foi divulgado, o qual dá uma visão do aspecto do templo num cenário onde o Domo da Rocha, sagrado para os muçulmanos, já não existe mais.

Os criadores da campanha esclarecem que a construção do Templo não será realizada com o uso de violência e que seu acesso não será restrito apenas a grupos judaicos, mas seguirá o plano original, sendo uma casa de oração para todos os povos da Terra. Afirmam ainda que “Conforme foi previsto pelos profetas, o Templo Sagrado representa a santidade da vida humana e da paz e será o centro de uma peregrinação inspiradora para todas as pessoas”.

fonte: GospePrime