E se o coração do crente o condena?

Parte 1 | Parte 2  | Parte 3  | Parte 4  | Parte 5  | Parte 6

1 João 3.20,21
20 Pois, se o nosso coração nos acusar, certamente, Deus é maior do que o nosso coração e conhece todas as coisas.
21 Amados, se o coração não nos acusar, temos confiança diante de Deus.

O cristão regenerado tem um novo coração. Deus cumpriu a promessa da substituição do coração de pedra por um coração de carne. Todo crente nascido de novo pode aprender a confiar em Deus por meio daquilo que seu coração lhe diz. De fato, o texto acima diz que nossa confiança diante de Deus está condicionada ao nosso coração.

Se meu coração recriado não me acusar, tenho confiança diante de Deus! SE ele não me acusar! Mas, e quando meu coração me condena? O que farei? Vou desprezá-lo em nome de Jesus porque estou na graça? Parece correto continuar pecando sem condenação?

Ora, o versículo vinte diz em que deve se basear nossa confiança no caso de nosso coração nos acusar: “Deus é maior que o nosso coração e sabe todas as coisas”. Graças a Deus pela sua longanimidade e pela sua misericórdia! Não é o fim,ainda tem jeito!

Nosso coração nos acusa para que possamos fazer caminho direito para os nossos pés, mas a condenação que sentimentos em nosso coração quando pecamos não é maior que o próprio Deus que nos abençoou com este dispositivo de alerta e proteção.

O conhecimento desta verdade se torna especialmente útil quando você precisa orientar crentes novos que estão apenas começando a caminhada cristã. Quando um cristão novo peca após ter recebido o Senhor Jesus, seu coração lhe condena, e por não ter conhecimento sobre as verdades da Palavra de Deus, ele pode pensar ingenuamente que é Deus que está lhe condenando ou lhe rejeitando por causa do sentimento de reprovação que ele tem. No entanto, não é Deus quem nos condena, Deus é aquele que nos justifica (Romanos 8.33). Obviamente que isto não significa que Deus justifique o pecado cometido, pois a justificação que vem de Deus é aquela que opera por meio da fé em Cristo Jesus (Filipenses 3.9).

Porém, o cristão que pecou, que realmente está disposto a se submeter à Palavra de Deus, seguirá as suas recomendações para agradar o coração do Pai celestial. Assim, em vez de fingir que o pecado é sem importância, em vez de negar o pecado que acabara de cometer, ele o reconhecerá diante de Deus (ou dos irmãos, se preciso for), pois ele confia que DEUS É MAIOR QUE O SEU CORAÇÃO E SABE TODAS AS COISAS. O reconhecimento do pecado, como pecado,é uma atitude de fé e confiança na graça de Deus através do sangue derramado de Jesus Cristo.

Reconhecer o pecado como algo abominável diante de Deus e reconhecer o pesar por tê-lo cometido, também é uma atitude nobre por parte dos cristãos, e é uma real demonstração de fé na GRAÇA de Deus.