O aperfeiçoamento do amor

Parte 1  |  Parte 2  |  Parte 3  |  Parte 4  |  Parte 5  |  Parte 6

QUEM TEME NÃO SERÁ APERFEIÇOADO NO AMOR?
Este texto foi extraído do livro Libertação da Imoralidade Sexual, de Natan Rufino

Já vi alguns irmãos se apegarem ao texto de primeira João 4, de onde a frase acima fora equivocadamente elaborada, para fazerem declarações extremistas sobre o amor de Deus e sobre o “temor”, que, supostamente, todo crente deveria descartar.

1 JOÃO 4. 18
No amor não existe medo; antes, O PERFEITO AMOR lança fora o MEDO. Ora, o medo produz tormento; logo, aquele que TEME não é aperfeiçoado no amor.

Existem muitos pontos importantes a serem considerados no texto acima para que o entendamos corretamente sem destoá-lo do restante das Escrituras.

A palavra grega que no verso 18 é traduzida por “medo” é a palavra “phobos”, e a palavra “teme” foi traduzida de um derivado da mesma palavra. Como vimos anteriormente, a palavra “phobos” pode ser usada no sentido positivo ou no sentido negativo, e o seu sentido aqui é estritamente negativo. Ainda assim, existem algumas coisas interessantes a se considerar sobre esta declaração feita por João.

A primeira coisa que eu quero que você observe é que João diz duas frases no mesmo versículo que tem praticamente o mesmo significado:

  1. O perfeito amor lança fora o medo;
  2. Aquele que teme não é aperfeiçoado no amor.

Eu tenho percebido que a segunda frase está sendo muitas vezes compreendida ao contrário do seu sentido real. Alguns pensam que João está dizendo que se alguém permitir a presença do medo em sua vida, o amor não será aperfeiçoado. Mas o que ele está dizendo realmente é que aquele que não é aperfeiçoado tem medo.

Claro que o problema é uma simples má interpretação de texto por causa de uma versão cuja frase apresente duplo sentido, como no caso da versão que acabamos de ler.

Na versão da Bíblia de Jerusalém esta parte do versículo 18 sobre a qual estamos falando está da seguinte forma: “O que teme não chegou à perfeição do amor”. Na versão Almeida 21 diz: “Quem tem medo não está aperfeiçoado no amor”. Na versão de J. B. Philips em sua Edição de língua portuguesa em Cartas Para Hoje diz: “O homem que vive com medo ainda não foi aperfeiçoado em seu amor”. Na versão do Novo Testamento Judaico diz: “Quem tem medo não alcançou a maturidade relativa ao amor”.

O texto não está falando de forma alguma que quem tem medo não será aperfeiçoado, é exatamente o contrário: Não é pela ausência do medo, que o amor se aperfeiçoará; é pelo aperfeiçoamento do amor, que o medo sairá. Basta olhar para a primeira frase que diz que “o amor perfeito elimina o medo” e não que “a ausência do medo aperfeiçoa o amor”.

Por causa desta equivocada interpretação de 1 João 4.18 muitas pessoas tem se esforçado em pregar contra qualquer tipo de temor na vida dos cristãos. Sem perceberem estão colocando tudo em um único pacote sem distinção alguma, e jogando fora como se tudo fosse lixo. Se alguém der um banho em um bebê numa banheira, depois terá que jogar a água fora, mas não pode se esquecer de tirar o menino antes. Assim também não podemos pegar indiscriminadamente qualquer menção à palavra temor e rotulá-la de negativa e descartável. Não se esqueça dos inúmeros versículos que vimos que são favoráveis a uma vida de temor a Deus.

Voltando ao assunto, no caso de 1 João 4.18, o que ele está dizendo na verdade é que “aquele que tem medo é porque NÃO FOI ainda aperfeiçoado no amor” e não que “se alguém tem medo, NÃO SERÁ aperfeiçoado no amor”. Daqui a pouco trataremos a respeito de que seria esse medo.

O APERFEIÇOAMENTO DO AMOR

A segunda coisa para a qual eu gostaria de chamar a sua atenção é a qualidade do amor que João menciona que eliminará o medo: “O PERFEITO AMOR lança fora o medo”. No início do verso 18 ele diz que no amor não existe medo, mas logo em seguida qualifica o tipo de amor que lançará o medo fora: o amor perfeito!

Esta não foi a primeira vez que João mencionou a ideia de um aperfeiçoamento do amor neste capítulo. Veja que nos versículos 12 e 17 ele já tinha feito menções a isto:

1 JOÃO 4.12
Ninguém jamais viu a Deus; se amarmos uns aos outros, Deus permanece em nós, E O SEU AMOR É, EM NÓS, APERFEIÇOADO.

1 JOÃO 4.17
NISTO É EM NÓS APERFEIÇOADO O AMOR, para que, no Dia do Juízo, mantenhamos confiança; pois, segundo ele é, também nós somos neste mundo.

João fala de certa forma que nos faz entender que é preciso manter um padrão de comportamento dentro da vontade de Deus para que o seu amor se aperfeiçoe (1 João 4.13,15,16). No verso 12 ele diz: SE AMARMOS UNS AOS OUTROS, DEUS PERMANECE EM NÓS E o seu amor será aperfeiçoado na gente.

  1. Primeiro ele diz: “SE amarmos uns aos outros”;
  2. Depois acrescenta: “Deus permanecerá em nós”;
  3. E finaliza: “Seu amor será em nós aperfeiçoado”.

O amor de Deus poderia se aperfeiçoar em um cristão que insiste em se indispor com seus irmãos? Que insiste em guardar mágoa e rancor em seu coração contra aqueles por quem Jesus morreu? Você acredita que o amor de Deus se aperfeiçoe em crentes que se alegram com os infortúnios de outros membros do Corpo de Cristo?

Precisamos seguir as diretrizes do Senhor, fazendo aquilo que lhe agrada para que “Deus permaneça em nós” (versículos 12, 13, 15,16) E “o seu amor seja aperfeiçoado” (verso 12).

O que João diz no verso 17 é que se o amor perfeito estiver presente na vida do cristão ele não terá medo em relação ao dia que tiver que ser julgado! Só o aperfeiçoamento do amor me dará confiança para o dia do juízo e eliminará o medo por completo.